• Área do aluno
  • Esqueci minha senha

    Quero me cadastrar

Diretor de Escola / Preparatório para Diretor de Escola SEE/SP 2017 - Domingos - AO VIVO - Online

Investimento

4x de R$ 186,93 sem juros ou R$ 747,75 à vista
Promoção com 25% de desconto até 27/06/17
Valor normal: R$ 997,00

 

A Federal Concursos, em parceria com a APROFEM, apresenta o Curso Preparatório para o cargo de Diretor de Escola da Secretaria Estadual da Educação 2017. EDITAL PUBLICADO (23/06/17): https://goo.gl/DCyzdY

O Edital publicado pela SEE-SP (Secretaria Estadual de Educação de São Paulo) contém as seguintes informações básicas do concurso: 

  • Prova: 03/09/17 (5h de duração)
  • Cargo: Diretor de Escola
  • Remuneração: R$ 3.834,00
  • Inscrições: 03/07/2017 ao dia 23/07/2017 (taxa de inscrição de R$ 82,73)
  • Aplicação da prova:  http://www.nossorumo.org.br
  • Vagas: 1878 vagas

 

Perfil do Diretor de Escola: Como dirigente e coordenador do processo educativo no âmbito da escola, compete ao Diretor promover ações direcionadas à coerência e consistência de um projeto pedagógico centrado na formação integral dos alunos. Tendo como objetivo a melhoria do desempenho da escola, cabe-lhe, mediante processos de pesquisa e formação continuada em serviço, assegurar o desenvolvimento de competências e habilidades dos profissionais que trabalham sob sua coordenação, nas diversas dimensões da gestão escolar participativa: pedagógica, de pessoas, de recursos físicos e financeiros, de resultados educacionais do ensino e aprendizagem. Como dirigente da unidade escolar, cabe-lhe uma atuação orientada pela concepção de gestão democrática e participativa, o que requer compreensão do contexto em que a educação é construída e a promoção de ações no sentido de assegurar o direito à educação para todos os alunos e expressar uma visão articuladora e integradora dos vários setores: pedagógico, curricular, administrativo, de serviços, das relações com a comunidade. Compete, portanto, ao Diretor de Escola uma atuação com vistas à superação de condições adversas ao desenvolvimento de uma educação de qualidade, ou seja, centrada na organização e desenvolvimento de ensino que promova a aprendizagem significativa à formação do aluno: pessoal, social e para o mundo do trabalho.

 

Transmissão

A Federal Concursos conta hoje com alta tecnologia de transmissão online, permitindo que os alunos assistam AULAS AO VIVO através da internet como se estivesse em uma sala de aula, podendo inclusive interagir com o professor. O aluno tem acesso as REPRISES DE TODAS AS AULAS, que ficam disponíveis para assistir no horário e local de sua preferência com toda a flexibilidade de tempo e espaço.

 

Agenda
DiasHoráriosInícioTérmino
Domingos 09h00 às 16h30 02 de julho de 2017 27 de agosto de 2017
* Haverá aula em um sábado a definir.

 

Disciplinas e Corpo Docente
DisciplinasDocentes¹Carga Horária

Compromisso com uma educação de qualidade e aprendizagem com igualdade e equidade para todos

DIVERSOS PROFESSORES 18 aulas
Gestão democrática e participava DIVERSOS PROFESSORES 30 aulas
Planejamento Estratégico DIVERSOS PROFESSORES 18 aulas
Foco em qualidade e em resultados DIVERSOS PROFESSORES 42 aulas
Gestão de processos administrativos DIVERSOS PROFESSORES 6 aulas
Gestão de pessoas e equipes  DIVERSOS PROFESSORES 6 aulas

Legislação: Constituição Federal, Constituição Estadual, Lei 8.069/90, Lei 7.398/85,Decreto 12.983, Decreto 55.588 e Resolução SE nº 45 – NO MODO ONLINE

Marco Miguel 30 aulas

Lei 9394/96, Lei 13.005/14, Lei 16.279/16 – NO MODO ONLINE

 DIVERSOS PROFESSORES  24 aulas
  TOTAL: 174 aulas

¹ Corpo docente sujeito a alteração.

 

Carga Horária

120 horas aula PRESENCIAIS + 54 horas aula no MODO ONLINE + reprises ILIMITADAS pela internet por até 30 dias após término do curso.

* Hora aula = 30 minutos (6 aulas por período)
** A reprise será disponibilizada, no formato ondemand, após 48 horas da transmissão ao vivo da aula e ficará disponível no login do aluno.

 

Conteúdo Programático

A) Livros e artigos
1. AQUINO, Júlio Groppa (Org.). Indisciplina na escola:
alternativas teóricas e práticas. 8. ed., São Paulo: Summus, 1996.
2. AZANHA, José Mário Pires. Democratização do ensino: vicissitudes da ideia no ensino paulista. In: Educação: alguns escritos. São Paulo: Editora Nacional, 1987, p. 25-43.
3. FREITAS, Luiz Carlos de. Em direção de uma política de professores. EM ABERTO, Brasília, ano 12, n. 54, abr/jun. 1992, p. 3-22.
4. GANDIN, Danilo. Planejamento como prática educativa.19. ed. São Paulo: LOYOLA EDICOES, 2011.
5. LIBÂNEO, José Carlos, OLIVEIRA João Ferreira e TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 10 ed. São Paulo: Cortez, 2012. Introdução, p. 39-57, 2ª Parte, p. 141-306 e 4ª Parte, p. 405-543.
6. MAINARDES, Jefferson, A organização da escolaridade em Ciclos: ainda um desafio para o sistema de ensino. In: Avaliação, Ciclos e Promoção na Educação. FRANCO, Creso (org.). Porto Alegre: Artmed Editora, 2001, p.35-54.
7. OLIVEIRA, Dalila Andrade (Org.). Gestão democrática da educação: desafios contemporâneos. 10. ed., Petrópolis: Vozes, 2013.
8. PADILHA, Paulo Roberto. Planejamento dialógico: como construir o projeto político-pedagógico da escola. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2002.
9. PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. São Paulo: Editora Ática, 2006.
10. VALE, José Misael Ferreira do. Administração Escolar e Educacional. Série Idéias, n. 16. São Paulo: FDE, 1993, p. 107-113
11. VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.). Projeto Político Pedagógico da escola: uma construção possível. Coleção Magistério. 29. ed. Campinas, SP: Papirus, 2011.

B) Publicações Institucionais

1. EM ABERTO: Gestão escolar e formação de gestores. Brasília, vol. 17, n. 72, abr./jun. 2000.
2. SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Gestão do currículo na escola: caderno do gestor. São Paulo: SE, 2010. v. 1, 2 e 3 .
3. SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação, Coordenadoria de Gestão da Educação Básica. Reorganização do ensino fundamental e do ensino médio. São Paulo: SE, 2012.

LEGISLAÇÃO / DIRETOR

1. BRASIL. LEI Nº 7.398, DE 4 DE NOVEMBRO DE 1985. Dispõe sobre a organização de entidades representativas dos estudantes de 1º e 2º graus e dá outras providências
2. SÂO PAULO. LEI Nº 10.261, DE 28 DE OUTUBRO DE 1968. Dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de São Paulo (Artigos 176 a 250)
3. SÃO PAULO. LEI COMPLEMENTAR Nº 444, DE 27 DE DEZEMBRO DE 1985. Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Paulista e dá providências correlatas (Artigos 61,62, 63 e 95)
4. SÃO PAULO. DECRETO Nº 12.983, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1978. Estabelece o Estatuto Padrão das Associações de Pais e Mestres
5. SÃO PAULO. DECRETO Nº 55.078, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009. Dispõe sobre as jornadas de trabalho do pessoal docente do Quadro do Magistério e dá providências correlatas
6. SÃO PAULO. DECRETO Nº 57.141, DE 18 DE JULHO DE 2011. Reorganiza a Secretaria da Educação e dá providências correlatas
7. SÃO PAULO. RESOLUÇÃO SE Nº 81, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011. Estabelece diretrizes para a organização curricular do ensino fundamental e do ensino médio nas escolas estaduais
8. SÃO PAULO. DELIBERAÇÃO CEE Nº 10/97.Fixa normas para elaboração do Regimento dos estabelecimentos de ensino fundamental e médio (Indicação CEE nº 9/97 anexa)
9. SÃO PAULO. PARECER CEE Nº 67/98. Normas Regimentais Básicas para as Escolas Estaduais

LEGISLAÇÃO – PARTE GERAL
1. BRASIL CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL – 1988. (Artigos 5º, 6º; 205 a 214)
2. BRASIL LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança do Adolescente – ECA(Artigos 1º a 6º; 15 a 18; 60 a 69)
3. BRASIL. LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB
4. BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 17 DE JUNHO DE 2004. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana (anexo o Parecer CNE/CP nº 3/2004)
5. BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 4, DE 13 DE JULHO DE 2010. Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica (anexo o Parecer CNE/CEB nº 7/2010)
6. BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 30 DE MAIO DE 2012. Estabelece Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos (anexo o Parecer CNE/CP nº 8/2012)
7. SÃO PAULO. DECRETO Nº 55.588, DE 17 DE MARÇO DE 2010. Dispõe sobre o tratamento nominal das pessoas transexuais e travestis nos órgãos públicos do Estado de São Paulo e dá providências correlatas
8. SÃO PAULO. DELIBERAÇÃO CEE Nº 9/97. Institui, no sistema de ensino do Estado de São Paulo, o regime de progressão continuada no ensino fundamental. (Indicação CEE nº 8/97 anexa)

 

Material Didático

Os materiais são gratuitos, elaborados para cada aula pelos professores contendo teoria, dicas, tópicos, resumos e questões comentadas ficam disponíveis em PDF após a gravação/transmissão das aulas em sua área do aluno até o término do curso.

 

Dúvidas

Você poderá enviar suas dúvidas para:
- Central de vendas no email comercial@federalconcursos.com.br;
- Nossa central pedagógica referente a dúvidas durante a aula duvidas@federalconcursos.com.br.

 

Investimento

4x de R$ 186,93 sem juros ou R$ 747,75 à vista
Promoção com 25% de desconto até 27/06/17
Valor normal: R$ 997,00